Casamento Ouro Minas

Local: Ouro Minas

Foto: Nina Fernandes

Decoração: Flor de Cipó

Bolo: Dilene

 

 

Anúncios

Inauguração Sesc Palladium

Depois de 12 anos fechado, o cine Palladium abriu as suas portas novamente para encher Belo Horizonte de cultura, agora como Sesc Palladium.

A Formato Eventos esteve a frente da organização dessa grande festa, confira abaixo algumas fotos e notícias sobre o evento.

,

O antigo Cine Palladium, no Centro de Belo Horizonte, que estava fechado desde 1999, reabriu as portas na noite desta quarta-feira (3), mas forma diferente. O atual Centro Cultural Sesc Palladium tem como destaque o grande teatro, localizado na sala do antigo cinema. A cerimônia de rabertura marcou a volta deste espaço tão tradicional na capital.

Na noite de inauguração, no palco do grande teatro, os atores Ney Latorraca e Betty Faria protagonizaram o primeiro capítulo de um novo script. Uma história que começou ser escrita depois de 12 anos. Marcos Viana foi o primeiro músico a se apresentar para o público e o segundo foi Vitor, de apenas 12 anos, que encantou a plateia com o hino nacional.

Autoridades desfizeram o laço para reabrir oficialmente o Sesc Palladium. Mobiliário requintado e modernos equipamentos. Um espaço multiuso, destinado a diversas expressões artísticas. No primeiro andar, uma galeria de arte e atrações até no corredor. Com o movimento do corpo, o visitante pode mudar imagens em uma tela interativa. Na sala de cinema, o público não precisar pagar para assistir filmes, mostras e festivais fora do circuito comercial.

No grande teatro, 1.321 lugares. Poltronas que foram ocupadas por convidados: gente nova e também pessoas que, na juventude, frequentavam o cinema, o saudoso Cine Palladium.

Um dos momentos mais esperados na inauguração do Sesc Palladium foi a participação do músico mineiro Milton Nascimento, o Bituca, integrante do Clube da esquina.

Um show marcou o reencontro de grandes amigos. Além de Milton, os músicos Lô Borges, Wagner Tiso e Toninho Horta, e os compositores Fernando Brant e Márcio Borges.

[Fonte – G1]